Boletim nº 37 - 06 de Junho de 2021

o que significa corpus christi?

por Rev. Renato Prates

holy-communion-3498484_1920.jpg

            Neste último final de semana ocorreu o feriado de Corpus Christi no Brasil. Muita gente aproveitou o tempo para descansar das atividades do trabalho, o que é muito bom! Contudo, nem sempre nos perguntamos sobre o significado de tal feriado. Afinal, o que significa Corpus Christi?

            A expressão Corpus Christi é latina e significa literalmente “Corpo de Cristo”. Dentro de teologia católico romana, depois dos elementos hóstia e vinho serem consagrados, eles se transformam no corpo de Cristo. A esta transformação dá-se o nome de “transubstanciação”. Esta celebração se iniciou em 1264, no calendário litúrgico católico romano, pelo Papa Urbano IV, tornando-se então, um dos mais importantes eventos deste calendário, por celebrar a eucaristia, palavra também de origem latina que significa “ação de graças”.

            No Brasil a tradição de celebrar a data chegou com os portugueses representada pela atividade de produzir tapetes a partir de produtos como serragem, borra de café e areia. São tapetes ornamentados com desenhos bíblicos, que fazem alusão ao corpo, pão e cálice, vinho. Na data, sempre uma quinta-feira, fiéis se reúnem para uma procissão que segue o ostensório — peça que armazena o Corpo de Cristo na hóstia — que é carregado pelo sacerdote sobre os tapetes.

            Embora seja um feriado nacional, os protestantes não celebram o Corpus Christi, basicamente por defenderem duas teologias da Santa Ceia do Senhor: a consubstanciação ou presença espiritual de Cristo na Eucaristia.

            A consubstanciação, segundo defendia Martinho Lutero, significa a presença real de Cristo durante a ministração dos elementos, não nos elementos em si, sendo transformados no seu corpo, mas em sua presença real no meio do seu povo, que é a igreja, durante a ministração da Santa Ceia. O problema da consubstanciação é que se Jesus Cristo de fato, em pessoa, se manifesta durante a cada Santa Ceia ministrada no mundo, então já não precisamos aguardar a sua vinda para busca a sua igreja, pois ele vem a cada momento de comunhão ou ação de graças, através do sacramento.

            A presença real de Cristo através de seu Espírito, foi defendida por João Calvino e pela teologia reformada, a partir de Genebra. Eis aqui um ponto de discordância entre a doutrina calvinista e a luterana, até os dias atuais. Para Calvino, a presença de Cristo é representada pela pessoa do Espírito Santo durante a ministração do sacramento, o que faz mais sentido, de acordo com textos bíblicos como João 14, onde Jesus promete o Consolador, depois de sua ascensão aos céus, para estar à destra de Deus Pai, de onde aguarda o tempo certo para buscar o seu povo – Sua segunda vinda!

            Basicamente, pelos dois motivos acima, evangélicos ou protestantes de uma maneira geral não celebram o feriado de Corpus Christi, no Brasil ou no mundo, já que a crença fundamental do feriado é a transubstanciação. Para nós, os elementos da Santa Ceia não se transformam no corpo de Cristo, já que ele estava vivo quando declarou: “Isto é o meu corpo...” e “este é sangue da nova aliança...”, carregando os elementos de um significado místico e simbólico, e não literal.

            A interpretação simbólica dos elementos se torna ainda mais evidente, quando Cristo declara: “Fazei isto em memória de mim...”. Em outras palavras, se Cristo de fato estivesse presente fisicamente a cada Santa Ceia que celebramos, não precisaríamos nos lembrar dele ou do seu sacrifício. Só precisamos trazer à memória, as pessoas ou atos que ficaram no passado. No caso de Cristo, sua mensagem nos faz olhar para o seu sacrifício e relembrar sua morte implacável em nosso lugar, mas também devemos olhar para frente, aguardando o seu retorno, como a sua Palavra mesmo declarou: “Porque, todas vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anuncias a morte do Senhor, até que Ele venha!” (1 Co 11.26)

A Sã Doutrina Quarta Palavra
00:00 / 54:49

Aos domingos, as mensagens são diferentes, selecionadas de outras fontes. Hoje, Será que existe uma sã doutrina? Mesmo em meio a tantas confissões, é possível falarmos em ortodoxia? Qual a importância da doutrina para a igreja?

Pedidos de Oração

​​​

Pelo fim da pandemia.

Pela chegada do Rev. Renato e Juliana.

Pelo Conselho.

Pela Junta Diaconal.

Pelos Ministérios da Igreja.

Pelos enfermos.

Pelos desempregados.

Pelas Missões.

Pela cidade de Macaé.

Pelo Estado do Rio.

Pelo Brasil.

Pelos afastados do Evangelho.

Pelos novos crentes.

Pelos perdidos.

Renião de Oração

Toda Sexta-feira, 6:00 h

Responsáveis:

Presb. Anderson

Cláudia

Lucília

13/06 Juliana Charret Barros Prates

19/06 Cibele de Barcelos Silva Clen

24/06 Raquel Gomes Pregioni Ribeiro

26/06 Myriam Carnaval Morett

Durante o período da pandemia o pastor da igreja tem estado disponível para aconselhamentos e reuniões em geral, pelo telefone e internet.

Se você tem alguma necessidade específica procure o pastor da igreja para ser atendido adequadamente. Você pode fazer isto pessoalmente ou através do telefone: (22) 98124-4283.

Por enquanto, as visitações nos lares e atendimentos presenciais no gabinete estão suspensos, por conta da pandemia. Entre em contato e seja pastoreado amorosamente!

Clique no título para conhecer a agenda pastoral.

Toda nossa programação, escala da equipe pastoral, novos eventos você encontrará no Menu > Agenda e Eventos.

Ao selecionar um evento, você verá na descrição as informações referentes.

Experimente agora! Clique no botão acima.

Dados Bancários :

Quarta Igreja Presbiteriana de Macaé.

CNPJ: 16.701.498/0001-50. 

Banco Itaú (341).

Agência: 0941.

Conta-Corrente: 19.643-8.

Chave PIX: 16701498000150

Envio de comprovantes ou assuntos administrativos, entre em contato.