Boletim nº 49 - 22 de Agosto de 2021

A ELEIÇÃO INCONDICIONAL TEM BASE BÍBLICA?

por Rev. Renato Souza Prates

bíblia

            A doutrina da eleição incondicional tem suscitado inúmeros debates ao longo dos séculos do cristianismo até os dias atuais. Mas a pergunta que devemos fazer diante de qualquer doutrina é a seguinte: Esta doutrina é bíblica ou mera filosofia?

            Segundo a interpretação reformada ou calvinista, que é tradição presbiteriana no mundo inteiro:

  1. Deus concedeu ao ser humano o direito de escolha entre o bem e o mal, que chamamos de livre-arbítrio, no Jardim do Éden.

  2. Foi por causa de seu livre-arbítrio que o ser humano pecou contra Deus no Éden, e continua pecando ainda hoje, escolhendo o mal, em vez de escolher o bem. Deus disse a Caim, logo depois da queda: “Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.” Gn 4.7.

  3. Aprendemos que os pecados que cometemos são de nossa inteira responsabilidade. Deus, o diabo, ou qualquer outra criatura não pode ser responsabilizado pelos meus pecados, porque eu escolhi praticá-los, e por isto, sofro as consequências deles, como todos os personagens que pecaram na bíblia.

  4. Muito embora o homem tenha livre-agência para escolher praticar o bem ou o mal, este direito de escolha não se aplica a salvação, que é um dom de Deus. Em outras palavras, o homem não escolhe a salvação, ele foi escolhido por Deus para a salvação. Leia Efésios 1 e 2.

            Vejamos alguns outros textos que comprovam estas declarações:

Deuteronômio 7:6-7: Porque tu és povo santo ao SENHOR, teu Deus; o SENHOR, teu Deus, te escolheu, para que lhe fosses o seu povo próprio, de todos os povos que há sobre a terra. Não vos teve o SENHOR afeição, nem vos escolheu porque fôsseis mais numerosos do que qualquer povo, pois éreis o menor de todos os povos,

 

Mateus 20:16: Não tivessem aqueles dias sido abreviados, ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados.

 

Mateus 24:31: E ele enviará os seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus.

 

Lucas 18:7-8: Não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que a ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los? Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?

 

João 6:37: Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora.

 

João 17:20: Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra.

Romanos 11:5: Assim, pois, também agora, no tempo de hoje, sobrevive um remanescente segundo a eleição da graça.

 

Romanos 9:20-24: Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?! Porventura, pode o objeto perguntar a quem o fez: Por que me fizeste assim?  Ou não tem o oleiro direito sobre a massa, para do mesmo barro fazer um vaso para honra e outro, para desonra?  Que diremos, pois, se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos de ira, preparados para a perdição,  a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória em vasos de misericórdia, que para glória preparou de antemão,  os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios?

 

2 Pedro 1:10: Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum.

 

Efésios 1:3-6: Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo,  assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor  nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado.

 

Efésios 1:11-12: nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade,  a fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo;

 

2 Tessalonicenses 2:13-14: Entretanto, devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados pelo Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade,  para o que também vos chamou mediante o nosso evangelho, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo.

 

Tiago 2:5: Ouvi, meus amados irmãos. Não escolheu Deus os que para o mundo são pobres, para serem ricos em fé e herdeiros do reino que ele prometeu aos que o amam?

 

            Contudo, existem alguns outros textos que parecem contradizer os textos que fundamentam a doutrina da eleição. Vejamos alguns deles:

 

Malaquias 3:7-8: Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós outros, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar?

 

Resposta: Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. O contexto se refere a uma repreensão divina por conta da infidelidade dizimal do povo, e não trata de salvação.

 

Mateus 10:22:  Sereis odiados de todos por causa do meu nome; aquele, porém, que perseverar até ao fim, esse será salvo.

 

Mateus 24:12-13: E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos.  Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo.

 

Resposta: A perseverança é resultado da conversão e não a causa dela: Romanos 5:1-4 declara: Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.  E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança;  e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança.

 

Mateus 11:28: Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.

 

Resposta: Esta declaração de Jesus, embora a inclua o convite irresistível da graça, recebido pelos salvos, também inclui um convite para que os sofredores de todos os males se aproximem de Cristo para serem curados e aliviados. Jesus não curou somente os eleitos, mas a todos os necessitados.

 

Marcos 16:16: Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.

 

Resposta: Antes de crer, existe a pregação da Palavra, que o Espírito Santo usa para convencer o pecador: Veja o verso anterior (15): E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Desta forma o verso 16 é um resultado do verso 15; ou seja, quem crerá e será batizado? Aquele que for convencido pela pregação da Palavra de Deus.

 

Lucas 10:16: Quem vos der ouvidos ouve-me a mim; e quem vos rejeitar a mim me rejeita; quem, porém, me rejeitar rejeita aquele que me enviou.

 

Resposta: Este versículo diz respeito a universalidade da pregação do Evangelho, onde Jesus envia os setenta discípulos para pregar. O evangelho deve ser pregado a todas as pessoas, sem distinção, mas somente os eleitos aceitarão sua mensagem, e os não-eleitos a rejeitarão.

 

João 1:6-13: Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João.  Este veio como testemunha para que testificasse a respeito da luz, a fim de todos virem a crer por intermédio dele.  Ele não era a luz, mas veio para que testificasse da luz,  a saber, a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem. O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu.  Veio para o que era seu [Judeus], e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam [Eleitos], deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome;  os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus [Eleição].

 

Resposta: O evangelho foi oferecido em primeiro lugar aos judeus, e depois a todos os homens, de uma maneira geral, mas só é recebido por aqueles que nascem da vontade de Deus, ou seja, os seus escolhidos.

 

Atos 7:51: Homens de dura cerviz e incircuncisos de coração e de ouvidos, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim como fizeram vossos pais, também vós o fazeis.

 

Resposta: Este é famoso discurso de Estevão, onde ele declara que seu público é incircunciso de coração, e por isto, eles resistem ao Espírito Santo. De acordo com Cl 2.11, a conversão é também chamada de “circuncisão de Cristo”. Logo, se alguém não foi convertido ou circuncidado pelo Senhor, sempre vai resistir ou rejeitar a pregação.

 

Hebreus 6.4-6: É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo,  e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus e expondo-o à ignomínia.

 

Resposta:

  1. Iluminação na Bíblia diz respeito a “entendimento” ou “revelação” (Ef 1.18; 3.9; e 1 Co 4.5). Iluminação nunca é usado como conversão.

  2. A expressão “provaram o dom celestial” indica uma experiência superficial, como as sementes lançadas em terras ruin. (Mt 13.3-9).

  3. “Participar do Espírito” não significa ser habitação do Espírito; mas participar dos dons do Espírito, como foi Judas (Mc 3.13-19) e o grupo descrito em Mateus 7.21-23.

 

            Concluímos então que este grupo de judeus-crentes que foram iluminados, provaram o dom celestial, e participaram do Espírito, não podem ser considerados “salvos” ou “eleitos”, porque além de caírem e não terem chance de arrependimento, não tiveram uma experiência real de conversão, operada pelo Espírito Santo.

 

 

Apocalipse 3:20: Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.

 

Resposta: Esta é uma repreensão de Deus à Igreja de Laodicéia, e não um convite a salvação.

 

Aplicação:

 

            Que diferença faz, saber que Deus escolheu um povo para a salvação, antes da fundação do mundo, e que cada pessoa que compõe este povo não pode resistir ao convite da graça de Deus, quando chega o momento determinado para a conversão?

 

  1. Esta doutrina levanta um questionamento importante: Será que eu sou um escolhido para a salvação? A resposta para este dilema só pode ser encontrada no testemunho interno de quem recebeu o Espírito de Deus em sua vida. Esta é uma experiência individual, e não pode ser julgada por outro caminho, a não ser a comunhão pessoal com Deus e o conhecimento de Sua Palavra.

  2. O tema de hoje tem sido muito mal compreendido por boa parte dos crentes, causando confusão e divisão no corpo de Cristo por mais de 1600 anos. Por isto, é preciso compreendê-lo melhor, já que nenhuma verdade das Escrituras pode dividir a igreja.

  3. O tema de hoje responde aos principais questionamentos existenciais da humanidade como: de onde eu vim? Por que estou aqui? E Para onde eu vou?

  4. Crer na eleição faz a diferença porque, ela nos esvazia de qualquer senso de justiça e mérito próprio, e passamos a confiar somente na misericórdia de Deus.

  5. Aceitar a doutrina da eleição faz a diferença porque, ela traz segurança e esperança à vida cristã. Se, eu tenho certeza da salvação, posso me sentir seguro nos braços do Pai, sem medo de ser abandonado ou rejeitado por Ele, mesmo quando eu errar, pois o Senhor sempre estará disposto a me corrigir e perdoar.

  6. Conhecer a doutrina da eleição pode nos deixar preocupados em relação à salvação de pessoas próximas a nós, como familiares e amigos; contudo, ela também revela uma verdade bíblica importante: a salvação é individual, e não podemos interferir na salvação do outro.

  7. Conhecer a doutrina da eleição nos conduzirá a uma vida cristã mais compromissada com o Senhor: Nós fomos eleitos para sermos santos e irrepreensíveis perante Ele, e não para vivermos segundo o pecado.

  8. Aceitar a doutrina da eleição é assumir a nossa responsabilidade missionária: 1 Pedro 2:9 Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.

 

 

            Segundo o que nós confirmamos através das Escrituras, se você é um escolhido por Deus, então você compreenderá que é pecador, que você não pode salvar a si mesmo, e que não salvação em nenhum outro, nos céus ou na terra, a não ser em Jesus Cristo de Nazaré.

            Renda-se a Ele, confesse seus pecados e receba o dom da salvação em Cristo Jesus!

Sendo liderados pelo Espírito SantoQuarta Palavra
00:00 / 1:19:01

Aos domingos, as mensagens são diferentes, selecionadas de outras fontes. Hoje, um estudo de Romeu Bornelli a respeito da liderança do Espírito Santo em nossas vidas.

Pedidos de Oração

​​​

Pelo fim da pandemia.

Pela chegada do Rev. Renato e Juliana.

Pelo Conselho.

Pela Junta Diaconal.

Pelos Ministérios da Igreja.

Pelos enfermos.

Pelos desempregados.

Pelas Missões.

Pela cidade de Macaé.

Pelo Estado do Rio.

Pelo Brasil.

Pelos afastados do Evangelho.

Pelos novos crentes.

Pelos perdidos.

Renião de Oração

Toda Sexta-feira, 6:00 h

Responsáveis:

Presb. Anderson

Cláudia

Lucília

11/08 Ligia Maria Gomes Domingos

14/08 Davi Amado Morett

21/08 Christopher da Cruz Reis

25/08 Andrea da Silva Bersot

31/08 Magno Campos Reis

O pastor está atendendo no gabinete pastoral na Sede Administrativa e também está disponível para aconselhamentos e reuniões em geral pelo telefone e internet.

Se você tem alguma necessidade específica procure o pastor da igreja para ser atendido adequadamente. Você pode fazer isto pessoalmente ou através do telefone: (22) 98142-4006.

Por enquanto, as visitações nos lares estão suspensas, por conta da pandemia. Entre em contato e seja pastoreado amorosamente!

Clique no título para conhecer a agenda pastoral.

Toda nossa programação, escala da equipe pastoral, novos eventos você encontrará no Menu > Agenda e Eventos.

Ao selecionar um evento, você verá na descrição as informações referentes.

Experimente agora! Clique no botão acima.

Dados Bancários :

Quarta Igreja Presbiteriana de Macaé.

CNPJ: 16.701.498/0001-50. 

Banco Itaú (341).

Agência: 0941.

Conta-Corrente: 19.643-8.

Chave PIX: 16701498000150

Envio de comprovantes ou assuntos administrativos, entre em contato.