Boletim nº 39 - 13 de Junho de 2021

As Muitas Águas Não Podem Apagar Este Amor!

por Rev. Renato Souza Prates

Alianças sobrepostas

O livro de Cantares ou Cântico dos Cânticos é uma literatura poética das Escrituras, mas além disso, pode ser considerado o único livro romântico da Palavra de Deus. Diversas interpretações históricas tentam aplicar uma mensagem puramente simbólica da linguagem de Cânticos, indicando-o como a relação da igreja com Cristo, como a noiva que deseja ardentemente o amor do seu noivo e vice-versa. Contudo, devemos tomar cuidado para no forçarmos o texto bíblico a dizer, o que ele não foi escrito para dizer sobre si mesmo.

 

As diversas declarações entre o casal apaixonado que é protagonista do livro, Salomão e Sulamita, uma mulher de origem misteriosa no livro, encontra seu apogeu na seguinte declaração poética: “As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam.” (Cantares 8.7). Mas o que de fato significa esta declaração?

 

A descrição de um casal que anseia por um encontro romântico a sóis é o tema principal do capítulo 8 de Cantares. Ele é o fechamento matrimonial e a cerimônia final que enlaça e celebra esta união. A noiva deseja acariciar o noivo, algo que era proibido publicamente naquela cultura e naquele tempo. A amada vem do deserto, cansada da caminhada, para repousar nos braços do seu noivo, que a espera ansiosamente para oferecer refúgio e carinho. Este amor é tão forte e tão inevitável como a morte, e o casal está completamente envolvido por ele. As muitas correntezas, nem mesmo pela sua força, poderiam apagar as marcas deixadas por este amor, nos corações dos noivos. As profundezas, por mais atraentes e enganosas que sejam, não podem tirar-lhe a vida. Este amor não se permite negociar, nem mesmo pelas mais grandiosas riquezas. Este é o amor que todo ser humano necessita e procura para sua plena realização; que quando encontrado, é inconfundível e irresistível. O mais profundo e verdadeiro amor entre seres humanos!

 

Neste sábado, dia 12 de junho, mais uma vez comemoraremos o Dia dos Namorados no Brasil. Não é um feriado, mas deveria ser. Não é um dia agradável para todos, mas deveria ser. Não é um dia celebrado por todos, mas deveria ser. Não é um dia separado por todos, mas deveria ser! Aparentemente, não há nada de extraordinário neste dia, pois foi criado pelo publicitário João Dória, pai do Governador de São Paulo, João Doria, por motivos comerciais e por ser véspera da celebração de Santo Antonio, o santo casamenteiro da Igreja Católico-Romana. Contudo, esta é a única data do calendário brasileiro, que celebra a união amorosa entre um casal, seja ele casado, ou noivos e namorados.

 

Embora tenhamos programado uma celebração para os casais de nossa igreja e visitantes nesta época, através do ministério de casais, as dificuldades impostas pela pandemia não nos permitiram a realização do evento, que sempre realizamos com sucesso anualmente. Todavia, não podemos deixar de expressar nossa gratidão a Deus pela existência de casais que encontraram o maravilhoso amor de Cantares um com o outro, e que independente do dia 12 de junho, são capazes de celebrar esta união em todos os dias de sua existência matrimonial. Também queremos louvar a Deus pela vida dos namorados, que ainda estão iniciando sua jornada amorosa, na fase do conhecimento mútuo, mas que já tem certeza do que querem, e tentam viver de maneira pura e piedosa na presença do Senhor. Aos noivos, que já estão na fase final de um compromisso amoroso, nosso louvor e intercessão a Deus, para que os mesmos possam concluir seu compromisso através dos laços do amor que lança fora todo o medo! O amor que vem de Cristo Jesus nosso Senhor!

 

Mesmo não podendo promover uma festa pública como em anos anteriores, incentivamos aos casais de nossa igreja, que celebrem sua união neste próximo sábado, com um encontro amoroso a sós, conforme o exemplo de Salomão e Sulamita, que ansiavam por estar juntos, celebrar juntos, descansar juntos, se apreciarem mutualmente e se amarem eternamente, já que nem mesmo a morte poderia separá-los deste amor, que era mais forte do que tudo!

Criados para DevoçãoQuarta Palavra
00:00 / 1:02:57

Aos domingos, as mensagens são diferentes, selecionadas de outras fontes. Hoje, uma palavra do Presb. Luís Fanti com o tema Criados para Devoção. Gravado no último encontro da UPH - Federação de Homens do Presbitério de Macaé.

Pedidos de Oração

​​​

Pelo fim da pandemia.

Pela chegada do Rev. Renato e Juliana.

Pelo Conselho.

Pela Junta Diaconal.

Pelos Ministérios da Igreja.

Pelos enfermos.

Pelos desempregados.

Pelas Missões.

Pela cidade de Macaé.

Pelo Estado do Rio.

Pelo Brasil.

Pelos afastados do Evangelho.

Pelos novos crentes.

Pelos perdidos.

Renião de Oração

Toda Sexta-feira, 6:00 h

Responsáveis:

Presb. Anderson

Cláudia

Lucília

Junho

13/06 Juliana Charret Barros Prates

19/06 Cibele de Barcelos Silva Clen

24/06 Raquel Gomes Pregioni Ribeiro

26/06 Myriam Carnaval Morett

Durante o período da pandemia o pastor da igreja tem estado disponível para aconselhamentos e reuniões em geral, pelo telefone e internet.

Se você tem alguma necessidade específica procure o pastor da igreja para ser atendido adequadamente. Você pode fazer isto pessoalmente ou através do telefone: (22) 98124-4283.

Por enquanto, as visitações nos lares e atendimentos presenciais no gabinete estão suspensos, por conta da pandemia. Entre em contato e seja pastoreado amorosamente!

Clique no título para conhecer a agenda pastoral.

Toda nossa programação, escala da equipe pastoral, novos eventos você encontrará no Menu > Agenda e Eventos.

Ao selecionar um evento, você verá na descrição as informações referentes.

Experimente agora! Clique no botão acima.

Dados Bancários :

Quarta Igreja Presbiteriana de Macaé.

CNPJ: 16.701.498/0001-50. 

Banco Itaú (341).

Agência: 0941.

Conta-Corrente: 19.643-8.

Chave PIX: 16701498000150

Envio de comprovantes ou assuntos administrativos, entre em contato.